A Bota Natal – do nordeste para a USAAF e da USAAF para a FEB

Durante os conflitos, é comum que os soldados aproveitem fabricantes locais para a produção de seus equipamentos e uniformes. Um exemplo já citado aqui no blog é a postagem sobre o distintivo da Cobra Fumando, que a FEB mandou confeccionar na própria Itália. Outro foi o “desert boot”, feito para o 8.o Exército Britânico por sapateiros do Cairo.

O Nordeste brasileiro foi um ponto estratégico na Segunda Guerra Mundial, e as cidades de Natal e Recife fervilhavam de marinheiros e aviadores americanos. Em Natal se estabeleceu o complexo aeronaval conhecido como “Trampolim da Vitória”, devido ao fluxo de aeronaves da Força Aérea dos Estados Unidos para vários teatros de operações, além das bases de patrulhamento da campanha anti-submarinos empreendida no Atlântico Sul.

Ávidos por melhorias em seus uniformes e aproveitando a disponibilidade de sapataria artesanal em Natal, pilotos americanos recorreram à oficina de um profissional de nome Edísio, para a fabricação de uma bota que oferecesse conforto e que pudesse ser usada em ambientes climáticos distintos.

Poucos exemplares remanescentes são conhecidos do calçado que viria a ser conhecido por “bota Natal”: esta de cor marrom vista nas fotos apareceu em um grupo de veteranos americanos da Segunda Guerra no Facebook, e um segundo exemplar já passou pelas minhas mãos. Tratava-se do modelo derivado da bota Natal original que foi adotado pela FEB. É curioso que um item brasileiro desenvolvido pelos aviadores americanos tenha se tornado popular a ponto de ser adotado pelos expedicionários que foram combater na Itália. A bota Natal da FEB era de couro preto, e, como todo calçado fornecido para a expedição, trazia na sola um carimbo com as palavras “Brasil” e “FEB” circundando uma estampa do Cruzeiro do Sul.

A bota Natal era um calçado de cano médio, ajustado por fivelas na altura do tornozelo e panturrilha. Havia uma grande variedade de acabamentos e cores nos couros utilizados para sua fabricação. Considerando que a Natal foi encomendada por militares americanos, e, dada sua semelhança com o modelo de bota conhecido por “Engineer Boot”, é possível que essa tenha sido a fonte de inspiração para o resultado final produzido no Brasil. As fotos de época que ilustram esta postagem foram encontradas pelo Fred, da Fundação Rampa, de Natal.

Deixe um comentário