CUIDANDO DAS SUAS BOTAS ROUGH OUTS – OU O BELO E SIMPLES “COURO DO AVESSO”.

“Rough out” quer literalmente dizer couro do avesso, maneira de montar calçados que aumenta a impermeabilidade, como bem sabiam os soldados de vários países nas duas Guerras Mundiais. Fato é que o couro do avesso tende a ficar com as cerdas eriçadas após o uso, acumulando poeira e dando origem a algumas manchas.

Esta é a aparência de um rough out sem nenhum uso:

Ao contrário do que se pode pensar, essa é uma característica que faz com que as botas rough out proporcionem um interessante ritual que deixa sua aparência ainda mais robusta e guerreira.

O tratamento de impermeabilização das botas rough out pode tanto ser feito antes de estreá-las quanto após alguns dias ou semanas de uso. A aplicação de alguns produtos irá impedir o acúmulo de sujeira, e, principalmente, um inacreditável aumento na proteção contra a água.

Você vai precisar dos itens mostrados abaixo:

 

Cera incolor da marca Wassington, escova para polimento, spray impermeabilizante e o kit de limpeza de camurça. Obviamente se você entrar em uma loja de calçado pedindo um kit para limpar rough outs vão te olhar como se você fosse um marciano. Peça o kit de limpeza de camurça e nobuck, que é exatamente a mesma coisa. Este produto contem no mínimo uma boa escova e uma barra de borracha de látex. Uma boa loja de couros e material para sapateiros oferece diversas opções deste kit e dos demais itens mostrados aqui. Só fazemos questão da cera incolor Wassington.

Em primeiro lugar, esfregue a borracha com força e todas as áreas do seu boot; se houver manchas mais duras de sair, molhe um pouco a borracha e aplique mais força. Isso bastará para remover toda a sujeira das suas botas. Use a escova para limpar os vestígios de borracha do couro.

O próximo passo é aplicar a cera incolor da marca Wassington – insisto neste fabricante pois foi o que melhor funcionou após a aplicação de diversos tipos de graxa para calçado, desde as importadas até cera de abelha em barra que foi derretida. Por que isso? Porque a cera Wassington tem uma densidade que penetra facilmente no couro do avesso de maneira uniforme, além de não escurecer as botas demasiadamente. Você pode usar cera marrom se quiser, mas a idéia aqui não é a de escurecer as botas, e sim deixá-las com a aparência mais próxima possível da cor original do couro rough out.

Assim sendo, aplique a cera generosamente com uma escova própria para esta finalidade. O couro do avesso absorverá bastante cera, sendo possível que apenas dois pares possam ser encerados com uma lata de 36g.

Botas rough out com uso moderado:

Não é necessário empapar as botas com cera, mesmo que usemos uma grande quantidade do produto. Couro nunca é um material uniforme, e, em algumas peças, as cerdas do couro do avesso podem ser mais rebeldes e grossas; em outras, menos. Seu bom-senso lhe dirá o quanto de cera é precisa no processo de aplicação dependendo do tipo de couro que você tem pela frente. Você quer botas protegidas, e não um tijolo de cera nos pés.

Macete da Segunda Guerra Mundial: lixar as partes mais rebeldes do rough out com uma lixa fina, ou queimar as pontas mais salientes com um isqueiro. Não exagere em nenhuma das duas alternativas; novamente seu bom-senso vai ser juiz desta linha de ação caso ela seja necessária.

Escove bastante após a aplicação da cera. A idéia aqui é fazer com que o seu par adquira um brilho discreto. Deixe secar por uma hora. Melhor se puder deixar as botas no sol para que a cera penetre bem. Aplique o spray uniformemente por todo calçado, de preferência em lugar aberto.

A foto abaixo mostra o resultado que se deve esperar: trata-se de um par bastante usado, mas que não deixa uma gotícula de água entrar.

Estas botas estão prontas para pelo menos mais duas semanas de uso no barro ou em dias de chuva. Quanto mais rigorosas forem as intempéries, maior a freqüência com que você poderá repetir todo este pequeno ritual de zelar pelas suas posses e fazer com que elas te acompanhem por anos em várias aventuras e histórias.

 

Deixe um comentário